quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Idalina (1985)



Lá em cima, de verde, Edna Cucato|(lembrança da Vânia) e o Égon Hadermann, de amarelo, que todo mundo conhece (rs). No meião, a Vânia Frohlich, de preto e coroa na cabeça, e do seu lado a Magda ( outra lembrança sua). Na fileira de baixo a Emi Kanashiro (irmã da Pitó. Segundo a Cris Yamamoto, dá aulas de geografia atualmente no próprio Idalina. Coitada!) ; seguindo na fileira, de verde ( e véu?) a Priscila Zambotto (que estudou com a gente no Eduardo Gomes), a Cris Yamamoto ( a melhor pose, com certeza. Segundo a própria, a la Madonna) e por fim, de xadrezinho rosa, a Duca ( Carminha Rossari).
  Eu não poderia deixar de fora do nosso blog essa antológica foto do baú da Vânia. Essa imagem, tirada na metade da década de 80, traz além da responsável pela foto ( e por sua conservação), algumas figuras inesquecíveis e que circularam  por nossas turmas na época. Além desses mais fáceis de identificar,  consegui resgatar alguns nomes, listados na legenda da foto, pinçados da conversa saborosa que rolou no Facebook por esses dias. Quem se lembrar dos nomes que ficaram de fora, por favor, participe aqui, e acrescente-os. O Idalina na época era o caminho tradicional para quem saía do 28 de Julho (caso aqui da Vânia, que passou pelo Eduardo Gomes também, do Égon e da Cris), que só ia até a 8ª série. Mas muita gente ficou anos estudando no Idalina, também conhecido na época por "Barcelona".Tempos das escolas estaduais - as municipais eram poucas em São Caetano, de teatro como trabalho escolar, de passar no bazar do Mauro ( "Maurumbi Shopping") em frente à escola pra comprar compasso, canetinhas Silvapen, borracha verde e papel manteiga ou de seda. E tempos, como disse a Cris Yamamoto, em que dava pra "bagunçar até e ainda passar de ano, mesmo colocando receita de bolo no trabalho de sociologia". Eu não fui do Idalina, mas frequentava tanto ali que até os professores ( Joãografia, Magali, Diesel...) se confundiam. Quantas vezes aos domingos, eu, Rogério, Rica, Carlão (Gordo), Lupa e Zé, entre outros, pulávamos os muros altos do Idalina pra bater uma pelada nas suas inúmeras quadras (era tanta gente do bairro, que se não chegássemos cedo, ficávamos na fila de espera). E teve também uma certa banda que tocou no I Festival de Música do Idalina, nesse mesmo 1985 ( ou 1984?), mas aí é uma outra história, que em breve eu contarei aqui.
( quem quer saber o nome de todos os presentes nesta foto, é só ler o comentário do post abaixo. Cortesia da Cris Yamamoto)

2 comentários:

  1. A Cris Yamamoto, responsável pela foto, simplesmente se lembrou de todos os rpesentes na ocasião. Memória privilegiada. Acompanhem comentário da própria:
    "Se vocês querem saber o nome de todos, por incrível que pareça, eu me lembro de todos. Alguns, inclusive do sobrenome.O Marcão era uma figura e ele está no meio do Egon e do Tércio Sanchez. O Tércio se tornou piloto de aeronave assim como sempre quis. Há 14 anos atrás, peguei um avião para Fortaleza, sendo ele o piloto.
    Na última fileira da esquerda para direita: Edna, Marcos, Tércio Sanchez, Valéria, Marcão, Egon Hadermann e Marlene.
    Fileira do meio (sentados): Vânia Frohlich, Magda, Regina Massola, Flávio Miguel, Claudia Biló e Paulo.
    Em pé: Emi Kanashiro (irmã da Pitó), Miriam, Priscila Zambotto, Sandra, EU, Mirna Pereira, Maria do Carmo Rossari e Elizabeth.

    ResponderExcluir
  2. o Egon .. é meu professor hoje.. gente que condescendência!...

    ResponderExcluir