sexta-feira, 2 de agosto de 2013

A Turma na Revista Raízes nº47!

Ultimamente, graças a uma equipe de redação muito solícita e atenta, tive oportunidades pontuais na Revista semestral Raízes, mantida pela Pró-Memória e Prefeitura de São Caetano do Sul. Além de uma matéria em parceria com meu pai, João Massolini, sobre a Ordem Rosacruz, também consegui que publicassem uma matéria ampla sobre a saga da minha família em São Caetano do Sul ( da parte da minha mãe), desde a construção da casa no Bairro Barcelona pelo meu avô materno, Ricardo Pareja Marigo, em 1948 ( casa em que moro atualmente). Neste número 47, que comemora 25 anos do periódico, não publiquei matéria, mas tive a honra de participar com uma página inteira da Seção Fotos & Memória - na edição passada eu já havia conseguido publicar uma foto do meu pai como goleiro do time do extinto Banco São Caetano. Na nova edição, selecionaram três fotos das oito que mandei: uma com a turma do EEPG 28 de Julho posada no Rancho Ranieri em 1982 ( muitos aqui conhecem esta foto - é aquela que tem mais de 20 pessoas, entre alunos e agregados, já publicada aqui neste blog - http://entupa.blogspot.com.br/2011/03/uma-foto-emblematica-rancho-ranieri.html); uma foto minha e do Átila na banda Noé e Seus Náufragos e uma última retratando meus primos, eu e minha irmã em uma festinha típica dos anos 70.  A página ficou uma beleza! um único porém é que a foto do Rancho ficou em tamanho menor quer o esperado, o que dificulta a visão dos integrantes do "fundão" na cena. Mas esse detalhe técnico não encobre a importância da "turma" entrar literalmente para a História, com H maiúsculo, nas páginas de uma revista tão conceituada e importante como essa. Como eu mandei outras fotos, pode ser que apareçam outras na próxima edição (dezembro 2013). E como agora eu já sei que este período mais recente da História, anos 70/80, é um verdadeiro "buraco" no acervo da Pró-Memória, vou selecionar outras, com certeza. A nossa turma e a nossa história merecem esta divulgação e esse registro.
Lembrando que o exemplar pode ser retirado gratuitamente na sede da Pro Memória, na Av. Dr. Augusto de Toledo, 255 (ao lado do Teatro Santos Dumont).

2 comentários:

  1. É história, Malu. Museu adora pessoas que contam histórias.

    ResponderExcluir
  2. é isso, aí,Leo... e história para a História não falta.

    ResponderExcluir